quinta-feira, 29 de abril de 2010

Cascas



É tão bom ter com quem conversar sobre todas as coisas, penso . Ontem falávamos sobre cascas, essas que criamos sobre as feridas a fim de nos defendermos. É tão bom ter com quem conversar sobre todas as coisas, penso. Ninguém precisaria, necessariamente, de terapeutas nem psicólogos se tivesse com quem conversar. Mas não com qualquer "quem", e sim alguém que nos entendesse, escutasse e se permitisse - e nós o mesmo - abrir caminhos, ou mostrar nosso lado melhor. Precisamos de amigos profissionais quando não os temos por perto.
Mas, enfim, retomo, para não perder o rumo do assunto: cascas. Tocamos nesse assunto e logo pensei em escrever sobre isso. Cascas. A natureza já usa delas para se renovar. E em nós, é uma bela forma de nossa pele de tentar proteger nossas feridas. Mesmo que a cutuquemos incessantemente, elas voltam, se formam rapidamente. E se formam cada vez mais fortes à medida que mexemos nelas. E ai, sim, com o passar do tempo e das mágoas, se fecham, secam, cicatrizam. E é chegado o momento, até sem que percebamos, das cascas saírem. Fizeram seu trabalho. Proteção. Se caem é porque estamos curados. Pelo menos da ferida em questão.
Cascas, já tive muitas. Outras tantas estão secando. E sabe lá ainda quantas ainda vão se formar, tantas necessárias for. Mas é um começo. Isso prova que estou viva,
que ainda tenho muito a dar.
Cascas a cair e cascas a se formar. Que sejam perfumadas e úteis como a da canela.

Um comentário:

  1. Quando criança eu tinha inveja d quem tivesse uma casca d ferida mais exuberante q a minha, certa vez comprei uma d um primo e colei no meu braço hahahahah passou ! ja sou grandinho e me trato hahah abraço seu blog é lindo seus textos q li ótimos !

    ResponderExcluir