domingo, 18 de abril de 2010

Gauchando




Ainda sobre meu encanto com as viagens e suas viagens, ontem consegui, enfim, fazer um tour por Porto Alegre. Uma breve passada pelo centro e seus lindos prédios nas horas calmas de sábado a tarde. Depois uma sequência de paisagens que mais pareciam de outra cidade. Um margear de rio e seus clubes de barcos, as surpresas das curvas desconhecidas por mim. Um sem rumo até então em minha cabeça. Um deixar levar que tanto amo. Mais precisamente para a região sul e sua Ipanema, a praia que namora o Guaíba, um lago que se diz rio. Em plena metrópole, a surpresa de achar uma faixa de areia e uma faixa de água enamoradas. E enamorados por elas, pessoas. Para completar, um calçadão lotado de leve caminhada e boa conversa regada a chimarrão. Ou seria mate? Mata-me de inveja!

Cara de verão, não fosse o lindo " se por "do sol de Outono. Nele , o jogo de cores, formando faixas de pratas e dourados. Nele, um barco esperando a próxima partida. Nele, mulheres devotas e o brincar de cães e gente. Fiquei ali a contemplar a troca de cores, a dança dos metais - a prata da água e o ouro do sol, pepitas de luzes da cidade acolá. Fiquei ali a sentir o passar lento das horas trazendo o frescor da noite. Máquina em punho e o desejo enorme de perpetuar tal momento em mim. Imagens a mais e o desejo de muitos textos que certamente escreverei. O dito mais lindo por do sol do sul encanta. Seduz. Instala-se em mim para sempre. Até mais que o "amarradinho" do Bat Bat. Prometo voltar. Que Mãe Oxum me chame.

Nenhum comentário:

Postar um comentário