terça-feira, 18 de maio de 2010

Acordo


Parece chavão, ou frase de político, mas a frase "o que se leva dessa vida é a vida que se leva" tem martelado a minha cabeça. Nas boas e não tão boas horas. Reconheço a lei de ação -reação. Por isso tento fazer o que acho melhor pelas coisas, apesar de nem sempre meu melhor seja o melhor para o outro. Reconheço a lei da atração. E sei bem como a minha cabecinha trabalha em cima disso, a favor ou contra. E reconheço mais ainda, com firma autenticada, que as coisas que nos são boas levam um tempo para chegar. Não vêm de graça. Revejo meus últimos meses e vejo o quanto me custaram - e custam - , o quanto me pesam. Sei bem o que quero - e não é muita coisa além de ser e me respeitar, ser e me amar. Parece mais piegas ainda mas, tendo saúde e sendo respeitada - e se respeitar - , acho que o resto todo vem.
Tento limpar minha mente, apesar dos pesares. Tento aceitar a coisas na vagarosidade do tempo, apesar de minha pressa de me ser de novo. Tento ter calma, mas me bate a ânsia conhecida. Parece que temos relógios diferentes, eu e minha vida. Relógios que hão, um dia, sincronizar-se. A vida e eu num mesmo bater, num mesmo "tic-tac-ar".
Os dias que quero rápidos, demoram. Os dias que quero vagarosos, correm. Paro para pensar que é assim mesmo, para ver se aumento minha taxa de aceitação. Coisas chatas, desinteressadas, custam a passar - como uma aula mal dada. Coisas mágicas, que me fazer brilhar, passam a galope. Ou na velocidade da luz. Injusto, penso, mas o que se há de fazer?
Paro a pensar numa forma de driblar a vida. Fazer cara de descontente com as coisas boas, cara de feliz com as coisas chatas.
Quem sabe assim eu a engano e ela me faz parar o tempo no dia de sol.
Ou seria melhor fazer amizade com o tempo?
Quem sabe ele mesmo se encarrega de driblar a vida...



És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...
Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...
Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...
Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...
Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...
O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...
E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...
Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...
Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

(Oração ao tempo, Caetano Veloso)

Nenhum comentário:

Postar um comentário