quinta-feira, 22 de julho de 2010

Detalhes


"Sou contra a moda que não dure. É o meu lado masculino. Não consigo imaginar que se jogue uma roupa fora, só porque é primavera."
Coco Chanel
Essa frase dita ser de Chanel me faz ver que estou no mesmo caminho. Não que me vista como homem - já sou um tanto sem graça, isso seria demais - mas tenho prezado ao passar dos anos por uma linguagem mais, digamos, simples, em mim. Poucas e boas roupas. Aquele casaco 3/4 que sai inverno entra inverno está lá, atual e intacto. E quem me dera estar com caixa para tal. Rio cada vez que lembro de uma frase de minha mãe - "triste é ter bom gosto e não ter dinheiro" - e me viro como posso. As prioridades, hoje, são outras.
Já tive meus tempos de Chanel, roupa e cabelo. Cabelo curto me caía bem em outros tempos. Precisava da roupa austera para me manter de forma digna como uma das raras representantes comerciais - um mundo, até então- e ainda o é - predominantemente masculino. Viajava por ai e atendia basicamente homens, e não teria voz se não fosse assim. Terninhos me acompanharam anos a fio, mas sem deixar de lado a graça de um broche de flor, um lenço amarrado no pescoço (marca registrada até hoje, herança da avó que esbanjava vaidades ), um echarpe colorido.
Hoje não mais - a não ser pelos detalhes coloridos. Gosto da roupa confortável, mas sem ser tipo masculino ou vulgar. Não quero que amarrem meus movimentos, sempre amplos. Nem que me deixem com cara de saco de batatas. Afinal, cai no abismo dos "enta" (perco minha dignidade, mas não a piada!) faz um bom tempo, mas não deixei lá no barranco minha auto estima. Nem meus já craquelados olhos azuis, sempre bem pintados, meu "salva-caras". A vida em ensinou a gostar de poucas e boas - de roupas a pessoas. E espero não cair em tentação.
Se gostaria de me vestir melhor? Óbvio. E isso já é um passo para fugir do que está nas revistas da moda e vitrines de liquidação. Nelas se põe o que é de rápida passagem, que vende rápido, o que dura pouco , o que precisam desovar ( ou alguém ai já vim alguma peça de belo feitio em promoção?) E espero não cair em tentação. Não ser a boba da corte, nem a escrava da grife, nem o brechó de amanhã. Muito menos a individada por nada. Fico com meus detalhes. E nas compras de ocasião.
"Tô de boa"...

Um comentário:

  1. Quase nunca posto meus comentários de aprovação e admiração, somente em raros casos onde me espantam as colocações. Porém reclamo dos que visitam meu blog em silêncio. Talvez por isso resolvi deixar este, somente para lembrar sobre o qto gosto de ler o que escreve(e leio tudo, varias vezes). Você tem o dom da palavra, escreve solto, leve, como um passarinho. Parabéns jOYCE. beijo gde.

    ResponderExcluir