quinta-feira, 29 de julho de 2010

Otimista


Não adianta a vida me dar tropeções e me deixar, por vezes, para trás. Ela tenta, manda dias frios, esconde o sol, tenta me arrasar, deixar-me deprimida, mas não consegue de todo, apenas momentaneamente. Basta fazer o mundo girar a meu favor.
Sou movida a bom humor. Parodiando Renato Russo "sem bom humor , eu nada seria".Ele me guia e sigo meio que hipnotizada. Anestesiada, melhor dizer. Amo o otimismo. Meu gás se multiplica com um sorriso, potencializa numa gargalhada. Aquece num olhar. Não sei viver sem isso. Quando me esqueci e tentei, a vida cobrou caro. Gastei ( ou ganhei?) muito tempo e dinheiro com terapia. Anos a fio. Tudo bem aplicado. Santa Margarete que o diga. Dava um carro popular. Mas valeu, recebi alta no dia que assumi que o problema não era meu. Era excesso de agradecimento, de comprometimento. Excesso revertido em quilos a mais, em enxaquecas brutais. Uma conta cara que , se pudesse, teria pago para me livrar das culpas.
E tudo isso porque? Porque não estava feliz. Não que o seja totalmente hoje, reconheço os perrengues. Mas aprendi a ver mais longe, a sair do espaço comum, ver a famosa luz no final do túnel. Aprendi - e aprendo a cada dia - a ter a paciência que preciso para chegar lá. Um passo de cada vez, sim, firme ou nem tanto, mas dando risadas - da vida e de mim. Olho para trás e vejo quanta coisa já foi feita. Olho para trás e vejo quanta coisa foi necessária. Sem elas, eu não estaria aqui. Sem elas " eu nada seria". Não seria o que sou hoje. Nada é arbitrário, nada por acaso. Não vivemos de " e se". Nem de dúvidas. Só de certezas, reais ou imaginárias. Gostando ou não.
Mas a vida passa. A maturidade, mesmo que rasa como pensam alguns, passa os sonhos a limpo. Deixa só o que se pode alcançar. Um "só" que pode ser muito. O Outono passou , lindo! E deixou em mil novas possibilidades. O Inverno veio com força e tentou me congelar, mas meu calor das horas estava lá. Quando tenho, aproveito, recarrego, armazeno, e me ponho pronta para tudo enfrentar. Gozo a vida tanto quanto dá para gozar. Afinal, a Primavera está ai, depois virá o Verão. E assim, sucessivamente. Muita coisa a passar. Não é a toa que meu aniversário cai no dia do palhaço...

Ainda que eu falasse
A língua dos homens
E falasse a língua dos anjos
Sem "meu bom humor", eu nada seria...

Com essa, ou Renato ri ou me pragueja lá do céu!

Um comentário:

  1. Pois.. é disso mesmo que eu também preciso Joyce - uma dose de optimismo!!
    Felicidades.

    ResponderExcluir