sábado, 18 de setembro de 2010

Passagem


Senti , hoje, que estamos sempre esperando. Na segunda, esperamos que chegue a sexta e traga o fim de semana. No café da manhã, já esperamos para ver o que vem no almoço. Quiçá na janta. No Inverno, esperamos impacientemente pela Primavera. No verão, pelo refresco do Inverno.
Se chove, esperamos que o céu se vista logo de azul. Se nublado, que o sol reapareça com seu amarelo. Se seca, aguardamos ansiosos pelo cheiro da terra molhada. Se enchente, que o tempo tenha misericórdia e seque as cobertas e as lágrimas. Ao acordar, já pensamos na noite de repouso. E ao deitar, já estamos pensando no amanhecer. Se é hoje, nosso pensamento está no amanhã. E no agora, estamos no depois. Nem bem abrimos o presente do dia e já estamos esperando mais da vida.
Na vida não é diferente. Quando bebês, esperam que tenhamos saúde. E nós, que atendam nossos desejos. Quando engatinhamos, esperam que fiquemos de pé. Quando de pé, esperam que não andemos para longe. Como esperam que aprendamos tudo, mas que não corramos muitos riscos. Quando meninas, esperamos, ansiosas, a mocidade e seus sapatos de salto. E nela, ansiamos pela vida de adulto. Ah... e então adultos, esperamos que a vida passe devagar, levando para bem longe suas marcas e seu fim.
Esperamos muito, de nós e dos outros. Esperamos ser e que nos façam felizes. A mãe espera que seu filho também seja, e dessa espera se faz feliz. Que seja alguém (engraçado isso, todo mundo é alguém...). Esperamos conquistar - mundo e pessoas - e que nos conquistem. E , enfim, esperamos fazer a diferença no mundo.
Descubro que o verbo traz em si várias interpretações. Esperar, no sentido do tempo. E esperar, de expectativa, de sonhos, que pomos e põem em nós. De esperança (viria de "esperar feito criança?") de que nossa breve passagem pelo mundo não seja tão breve.
Nem tão somente passagem.
E ainda tem os ditados: esperançosas como "quem espera sempre alcança". Ou que vem como aviso: “Quem espera por sapatos de defunto toda vida, anda descalço". E expressões, como "esperar sentada". E espero, sinceramente, que tenham chegado ao fim do texto. E que me tenha feito entender em mais essa viagem pelo mundo das palavras e dos pensamentos, por vezes tropeçantes. Até porque " a esperança é a última que morre"...
Só espero que ela me conte depois!

Nenhum comentário:

Postar um comentário