terça-feira, 12 de outubro de 2010

Anjos


Parece incrível, mas passarinhos e crianças sempre me "perseguem". Onde estou, lá estão eles. Sou um imã. Sejam as meninas de cabelos encaracolados que me vem a perguntar algo ou simplesmente me olhar bem nos olhos, ou o menino que passa choramingando pela rua e pára por um momento para me encarar, sempre os atraio. Ou seria o contrário? Mesmo aqueles que o corpo diz que são homens e mulheres, mas o olhar meigo diz que são ainda meninos e meninas que chamamos de especiais. Já brinquei que sou fada. Não me olham como se fosse bruxa. Mas acho que sei bem o que é : somos iguais. Criança atrai criança, mesmo que seja só pela minha'lma.
Ah, e passarinhos...A atração vem desde sempre. Eles chamando meus olhos, eu atraindo-os para mim. Desde que os admirava com meus olhos infantis, que ainda se perdem na perseguição da beleza de um. E me vêm desde que mudei para uma casa. Toda primavera lá estão eles a montar seus ninhos em minha morada. Melhor dizer, invadí-la sem cerimônia ou permissão.Deixo. Gosto. Dizem ser sinal de bom agouro.Volta e meia passeiam pela sala, alertando meu cão. Parecem que passam a casa a limpo com sua alegria. Outra hora quebram a cara em pleno vôo vão. Ou pousam, despreocupados, na mesa onde trabalho, como quem puxa conversa. E não é diferente aqui onde estou, meu alegre porto. No domingo, veio me ver na murada florida do terraço de Quintana, belo Bem-te-vi. E ontem, para minha surpresa e admiração, recebi um em plena cozinha do apartamento, quem sabe esperando pelo café da manhã. Pena serem só visitas e cansarem logo da vida alheia - no caso, a minha.
Passarinhos e crianças, adoro atraí-los. Vejo muito de um no outro, e de mim nos dois. Na criança me vejo menina, ingênua como sou, curiosa pela vida. No voador, meu sonho de poder estar sempre onde queria estar, viajante do mundo. São seres alados, feito anjos. São seres felizes, parcos de deveres. São eles, exatamente como querem ser. Livres. Deve vir dai minha admiração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário