segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Celebrar



"Celebrar quando o plano corre como o esperado? Qualquer um consegue fazer isso. Mas é quando você percebe que a história da sua vida poderia ser contada de mil maneiras diferentes, vezes e vezes sem conta como uma tragédia que você escolhe chamá-la de épica, é que então se começa a aprender
 o que é realmente celebrar.
Quando o que estiver diante dos seus olhos parecer distante, ou diferente do que sonhou e ainda assim você acreditar, tiver ousadia, a coragem de chamar de belo ao invés de erro,
parabéns, isso é celebrar".
(Shauna Niequist, in Cold Tangerines: Celebrating the Extraordinary Nature of Everyday Life)

Li esse pensamento em um blog de uma amiga virtual e querida, que mora além mar. Veio bem a calhar. Ela, que me chama sempre de menina apesar de ser bem mais nova que eu, e de feliz, sendo ela bem mais feliz que eu, já é por si só um celebrar. Um presente que me veio de forma totalmente inesperada. De desafeto para afeto. É a prova viva de que caminhos tortos podem, e geralmente são, mais bonitos. Feito aqueles que traspassam lindas plantações a perder de vista,quem sabe de lavanda.Ou o dourado trigo.
Enfim, saindo de Portugal e voltando ao meu mundinho cão (chiuaua, mas cão), a frase fez em mim morada. Feito poesias, que cismo e mando sem nem esperar respostas da pessoa amada. Ou músicas que ficam cantarolando dentro de mim em minhas longas e silenciosas caminhadas comigo mesma.
Celebrar. Palavra nobre, bonita, festiva. vem de tornar célebre - famoso, ilustre, importante. Que se destingue.Torna um momento importante. Ninguém pensa em coisa ruim quando ouve essa palavra. Celebrar. Desde que tenha um sentido, desde que não seja ela por ela mesmo, celebrar por celebrar. Desde que seja consciente e não dopada pela bebida - coisa que, sabiamnete, não faço faz tempo, por pura escolha de não me fazer incentivadora da vida dos que bebem por beber, dos que bebem para escamotear e não viver. Desde que se tenha um motivo para se orgulhar - aqui no sentido bom da palavra, de se sentir útil, inteiro. Celebrar os erros, inclusive, desde que nos ensinem algo ( e qual não ensina?). Celebrar os acertos, bem diz o texto, é fácil. Celebrar o conquistado e o quase, desde que se tenha a plena certeza de se ter feito o melhor. Ter se entregue por inteiro. Que se tenha amado a contento. E se tenha pelo menos suspeitado em sê-lo. Vivido com vontade. Feito por que se quis e não porque nos disseram para fazer.
Celebrar é palavra forte. Não é um mero comemorar ou 'bebemorar', como dizem por ai. Não um mero contentar-se com o que veio sem se merecer. Não um cumprir de datas nem de dias festivos. Um mero cumprir de tarefas enfadonhas e empurradas.
Fico curiosa e procuro seu significado. A famosa Jabulani significa " celebrar " na língua Bantu isiZulu.E vou além: "celebração é algo que tem muito mais a ver com o coração do que com a razão ", " que não porque, nem data marcada", "podem ocorrer a qualquer momento, em qualquer lugar, por qualquer motivo", " as comemorações agradam ao ego; as celebrações agradam ao espírito". Vindas de um psicólogo, nada mal. Para outros , e mais no sentido religioso, " celebrar significa tornar célebre um determinado momento ou acontecimento da vida. O ato de celebrar faz parte da vida humana, é uma ruptura da rotina cotidiana. O liturgista italiano, Romano Guardini, fala da celebração como dimensão lúdica da vida que extrapola o tempo e o espaço".
Dimensão lúdica. Que tem a ver com o coração. Tornar célebre um momento da vida. Isso é celebrar. Mas que não seja por ser, que seja leal, real, fiel a mim mesma. A tudo que acredito. Amo. E sonho.
Procuro uma imagem para o post - parte melhor e pior do processo -  e acho um blog, uma imagem e uma frase que me diverte por uma irreverência que eu queria ter:

'E se antes um pedaço
Hoje
Quero a fruta inteira'
(michelematta.blospot.com)


Estou rindo. Menos mal.



2 comentários:

  1. Querida menina alegria, fazer parte do teu espacinho é uma honra, ler palavrinhas tão queridas e saber que de alguma forma o que coloquei serviu de ajuda num dia menos feliz, melhor ainda. O melhor das amizades desse mundinho moderno e não serem mais dependentes de tantos detalhes até pouco tempo fundamentais para qualquer amizade (distância e disponibilidade). Ter a tua amizade é um grande presente, apenas igualado pela alegria de ler teus textos e partilhar das tuas alegrias e as vezes chateações (nem tudo são flores, as vezes encontramos uns matos pelo meio). A amizade surgiu pelo mundinho virtual, o carinho e admiração, são bem reais. Beijoca grande pra ti menina Joy.

    Ps: Já conheço alguém que sabe celebrar!!!;)

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Larinha, florzinha no meu caminho!

    ResponderExcluir