quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Devaneio


Admirável mundo novo e bom esse. Falo com meu filho que está longe como se ele estivesse no quarto ao lado - ou melhor, sem a inteferência das chatices do dia-a-dia.
Estou maravilhada pela conquista dele. Cinquenta dias fora de casa e fora do país. Crescendo.
Já estive com ele ano passado em uma viagem a dois. Mostrei a ele o verdadeiro sentido de lá se estar: conhecer. Reconhecer. Se entregar. Fazer parte do que lá está. Viver como eles. Esquecer quem somos. Como se morássemos, por mais breve que seja o tempo, lá. Como se mudássemos de todo. Transplantar.
Sempre digo isso a ele. Nada ensina mais que uma viagem - para a cidade ao lado ou outro país. Nada, nem os livros,maravilhosos companheiros da passagem pela vida, que chegam perto dessa tentativa. Andar pelas ruas desconhecidas, escutar novas palavras nunca ouvidas, tentar entendê-las através dos gestos. Tentar entender pessoas e costumes. Provar novos sabores, descobrir novos caminhos. Saborear um novo viver. Ver coisas , anotar ideias, abrir a mente para um todo novinho em folha, feito caderno de escola. Tocar paredes, ouvir músicas. Sentir cheiros. Abrir-se a novas descobertas. Escancarar-se diante do todo. Ou do detalhe. 
Sinto isso por onde ando. Provo um novo sabor a cada instante. Experimento caminhos novos, outros, sempre que dá. Fixo novas vistas, descubro novos passos, mesmo estando no mesmo lugar. Como em outros horários, durmo quando dá. Vejo vitrines, enxergo pessoas e suas vestes. Sinto seu caminhar. Noto como se conduzem pelo caminho só seu. Noto os olhares. Eu curiosa deles, eles de mim. Abro-me para receber tudo que há de novo, como se isso me bastasse. 
Tinha um adesivo em meu primeiro carro (faz tempo) que dizia: quem lê, viaja. E eu completo: quem viaja, lê. Como se fosse o novo meu livro. Crônica. Poema. Obra completa. Livro de memórias, para nunca mais se esquecer. 
E concordo com o poeta: a rua é um país! Quiçá um mundo!

"A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo..
." 
Mário Quintana

Um comentário: