sábado, 15 de janeiro de 2011

Que tal?


Que tal abrir a porta do dia,dia
Entrar sem pedir licença
Sem parar pra pensar,
Pensar em nada…
Legal ficar sorrindo à toa,toa
Sorrir pra qualquer pessoa
Andar sem rumo na rua
Pra viver e pra ver
Não é preciso muito
Atenção, a lição
Está em cada gesto
Tá no mar, tá no ar
No brilho dos seus olhos
Eu não quero tudo de uma vez
Eu só tenho um simples desejo
Hoje eu só quero que o dia termine bem
Hoje eu só quero que o dia termine muito bem (*)

Essa música acordou comigo hoje. Suave, como um bom conselho . E me fez leve. Não tive dúvida: disse à vida que a amava, calcei meu tênis e fui cumprimentar o dia. A cidade parecia outra -  ou a mesma, mas com outro brilho. As árvores pareciam mais verdes, o vento mais fresco, os pássaros mais alegres. Os cachorros mais simpáticos, as pessoas mais simpáticas - presumi, dado aos sonoros 'bom dia' que recebi pelo caminho. Até os carros me pareciam mais lentos, como se a pressa tivesse sido deixada em casa.
Posso pensar que isso tudo vem de mim. Das resoluções que tomei e me fizeram mais leve. Dos sonhos que tenho me permitido sonhar. Do meu olhar , talvez, mais atento  - ou mais ameno pela alegria de mais uma vez saber-me como sou. De me achar entre as horas do dia. Como se as tristezas e conflitos tivessem ficado de cama, derrotados tamanho meu otimismo. Talvez eu tenha aberto a gaveta de ser feliz e visto quanta coisa ainda cabe nela. Quanta coisa ainda me cabe. Um jeito aqui, um acerto ali e tudo se encaixa. Tudo me cabe se eu assim quiser. Cabe tudo que eu quiser. Basta escolher. E tirar do caminho as coisas que não quero. São poucas, muito poucas, perto das que pretendo ter - ou melhor dizer ser?
De nada adianta fazer tempestade em copo d'agua. Ele mesmo pode estar meio cheio ou mesmo vazio, como dizem por ai os analistas de plantão. Bom seria agir sempre com muita calma. Sem egoísmos bobos, sem falsos acertos, sem querer mais do que se precisa. Sem querer mais do que se merece. Sem forçar o outro a nada. Sem nos forçar a nada . A vida já é bem complicada com seus compromissos e deveres. Já é bem pesada. Sobrecarregá-la ainda mais pode deixar a coisa impossível de se levar. Tirar todo e qualquer peso inútil já ajuda.
Para completar a manhã que já me seduziu tanto, recebi uma ligação, direto de um castelo da Segóvia. Descreveram-me a paisagem e do como combinava comigo. Hoje estou feliz. Hoje vou ser feliz. Hoje eu só quero que o dia termine bem. Hoje eu só quero que o dia termine muito bem.

(*) Letra da música Simples Desejo, com composição de Daniel Carlomagno e Jair Oliveira, belíssimamente cantada pela voz macia de Luciana Mello. 



2 comentários:

  1. Sua leveza de ser encanta.

    ResponderExcluir
  2. "Tudo me cabe se eu assim quiser. Cabe tudo que eu quiser. Basta escolher. E tirar do caminho as coisas que não quero. São poucas, muito poucas, perto das que pretendo ter - ou melhor dizer ser?"
    A cada releitura, muito. Aprendendo com você a ser mais leve.Ou tento, o que já não é tão fácil. Belo texto, como tantos que tenho encontrado por aqui.

    ResponderExcluir