segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Vivendo



Férias...tinha esquecido o real significado dessa palavra. Não é a da correria de final de ano. Nem das visitas marcadas, dos sorrisos comprometidos, um entra e sai sem parar. Nem mesmo de descansar de hora marcada.
Descubro que nunca tive férias, mesmo nos dias nominados como tal. Era um tal de viajar para agradar um, ir para praia agradar outro. Natal numa família, Ano Novo na outra, e para isso meio Brasil. Filho para dar comida, cachorro para dar um volta. Malas para fazer e desfazer. Comer na hora sempre estabelecida, dormir cedo para 'aproveitar ' a vida.  Acordar cedo para dar conta de um novo dia.
Férias. Sinto na pele, enfim, o que são. 'Vida de cão'. Dormir quando se tem sono, comer quando se tem fome, beber quando se tem sede. Fazer do dia  que se quer. Fazer o que se quer da gente. Desligar-se do tempo, guiando-se pelo relógio interno, muitas vezes esquecido. E não pelo tic-tac dos compromissos. Dos agrados de toda hora. Banho só para relaxar e sentir-se bem. Roupa pouca. Comida mínima. Janela aberta para sentir o vento. Cortina aberta para namorar a lua. Água geladinha suficiente para refrescar a mente. Água na cara para refrescar a pele. Suor da caminhada intensa, alegria da caminhada lenta.
Ah, férias...Ler porque se quer. E largar o livro para sonecar. Ver um filme sem se preocupar. E dormir se o sono vier.  Escutar músicas novas. Abrir a mente para coisas novas. Abrir a mente para nós mesmos. Abir-se plenamente. Deixar rolar. Planejar sem papel nem caneta. Escrever de cabeça. Relembrar o que se foi. Sonhar com o que virá. Celular desligado. Computador desligado. Desligar-se do todo. Mas com o coração ligado. No barulho de chuva. No frescor do vento. No amor que está no ar. No doce na boca. No simples. Namorar. Café na hora. Sorvete na cama. Carinho. Abraçar.
Férias é viver em slow motion. É se vivenciar. Viver o que se é para melhorar o que se será.
Agora, dá licença que eu vou relaxar...


Um comentário: