segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Espera




Segunda - feira é um dia estranho para mim. Pálido. Seco. Silencioso. De espera, sentada no banco da vida. É um dia sozinho - nem final de semana, nem dia normal. Não tenho o mesmo pique dos outros. Nem o deixa levar de ontem. É como se eu me preparasse para uma corrida, competição qualquer. É aquele momento de mentalização. Concentração. Olho fixo na pista. Fico distante, 'na minha', e tenho que me organizar ( eu e minhas listas...)  para não deixar me perder no passar das horas.
Já aprendi a conviver com mais isso e nem adianta lutar. Se o faço, vem um cansaço tremendo. Exaustão. Como se saísse de uma letargia, pesada, repouso da vez, para a plena disparada. Um mistura de sono de preguiça que ouso vencer como posso, como dá.

Aproveito e 'limpo as gavetas' do dia do que dá para limpar. Tiro  - ou tento, ao menos - os pensamentos velhos, os excessos carcomidos pela inércia, por não serem resolvíveis, ou por não querê-los até, e abro espaço para novos. Quem sabe assim cabem mais coisas boas? Que sabe o gato Garfield tinha razão? Dia de se jogar por ai e esperar a troca por outro. Quem sabe faço dele domingo? Ou feriado qualquer?

Bom se a vida deixasse a gente ser como é...Mas sei bem dos porquês. No final de semana me divido em muitas, mesmo não me tendo como inteira. Mesmo que não seja bem vista. Mesmo que não seja recompensada. Não sou eu a que vive. Como se eu não tivesse tempo para mim, e como se me sentisse culpada se o fizesse. Fujo com posso: demoro mais no banho para me conversar. Caminho para o passar das horas. Finjo dormir para que me esqueçam. Bom é saber que isso tudo é uma fase e vai passar. Mas não adianta: segunda nunca é só para mim. O trabalho me chama ( por mais que o ame, às vezes quero distância!), a geladeira vazia clama por mim, a empregada chega mal humorada. A casa está revirada, os bilhetes de 'mãe, compra isso' me aguardam em cima da mesa. A internet sempre um caos - ou eu sem paciência. Nem um bilhete de 'tenha um bom dia' ou 'seja feliz', nem flores na portaria...Ou um belo recado do amor...

Mas essa não sou eu, e isso me reconforta. Sei bem como bem viver meus dias. Há muita luz no final do dia. Ou , melhor dizer, há muito amar no fim dessa fase, que vai passar...
Se eu pudesse ser eu, amaria a segunda...e a terça, e a quarta e...

Hoje me faço Clarice.
"E se me achar esquisita,
respeite também.
até eu fui obrigada a me respeitar".

Clarice Lispector

Um comentário:

  1. Então toma essa!!
    BOM DIA, BOA SEMANA,BOM MÊS,ÓTIMO ANO!!!
    BJ,
    MEG

    ResponderExcluir