quarta-feira, 23 de março de 2011

Salto



Dia complicado. Não bastasse cansaço extremo já ao levantar ( tentem visitar uma  - uma não duas! - feiras de acabamentos entrando de stand em stand, vendo novidades e 'vendendo' seu trabalho, por horas seguidas. E tudo isso equilibrando corpo e mente em cima de um belo salto), meu não não funcionou, deu tilt. Aguentei tudo isso mantendo um belo sorriso na cara que quase imendou com minhas rugas, fazendo quadro trágico com as olheiras. Esperei respostas que não vieram a contento, não consegui cumprir minhas metas. Mas guardei tudo na máscara da personagem de me ser. Só sendo 'muito' mulher.
E aqui estou eu. Devia dizer não a  mim mesma, e tentar resistir ao ímpeto de me escrever. Mas não. Meu dia sufocou a Joyce que gosto de ser. Só a profissional esteve  a bordo, CDF que só. Se não parasse para me escrever - ou me escutar? - teria mil conversas comigo mesma antes de dormir. E talvez o sono me deixasse para trás, tamanha neurose.
Hoje, mais uma vez, cresci. Cresci quando vi que não sou a toda poderosa. Cresci quando vi que o corpo não segue minhas regras mentais, padece bem antes. Quando me dei conta que me dou menos valor do que devia. Cresci quando fui atrás do que queria, do que acredito, céu e inferno. Quando não aceitei as recusas - inclusive do amor - e me expus, me fiz entender, quando teimei até entender o que se passava em mim. Quando relevei minhas fraquezas e vi quanta força existe nelas. Quanto de mulher há na menina que chora, nem que seja de cansaço. O quanto quero para mim esse amor sem fim.
Quase outro dia e coloquei aqui mais um pouco de mim. Gravei minha passagem pela história. Agora estou mais leve, sorriso voltou. E não dá em outra, me vem Clarice. Mas do meu jeito.
Eu não estou tão triste assim, é que hoje eu estou cansada....
( porque o sou, original, não me cabe, nem por um simples texto) ...



Um comentário:

  1. Como é difícil,colocar em prática, toda a sabedoria...que alcançamos...com o viver diário,principalmente nós mulheres com síndrome de mulher maravilha!!!
    bjks Joyce.

    A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.
    (Charles Chaplin)

    ResponderExcluir