segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Doce pão



"Mulher que é mulher come o pão que o diabo amassou...mas como muita geleia!!!"
Assim estava postada a frase no meu Facebook hoje e que deu o que falar - ou melhor dizer teclar? ( tempos modernos, afff, tenho medo de não saber mais usar uma caneta...). Estou faz dias sem escrever, não por falta de vontade, mas de cabeça: muita coisa dentro dela, e meus pensamentos leves ficam perdidos , misturados, como quem perde algo precioso dentro de sua própria bolsa. Visualizaram a coisa toda?
Mas voltando aos pães amassados pelo diabo, mas cheios de geleia - de preferência de amoras silvestres, feita pela minha mãe, com frutas do seu quintal - bem que a gente deveria ser assim, leve. Levar a vida mais light - no sentido de boa, não de sem gosto e sem graça, claro. Um light que nos engordasse a alma a olhos vistos de coisas boas, de frase de incentivo, de atitudes que nos colocassem para cima. Que tirassem de nós nosso melhor - pegassem emprestado, melhor dizer, porque já nos tiram muito. Ontem assisti pela enésima vez o filme Julie & Julia, com Meryl Streep - impagável em seu sotaque acentuadamente americano e trejeito mais ainda - e Amy Adams, uma doçura em pessoa.
Baseado em duas histórias reais, Julie & Julia intercala a vida de duas mulheres que, apesar de separadas pelo tempo e pelo espaço estão ambas perdidas...até descobrirem que com a combinação certa de paixão, coragem e manteiga, tudo é possível.
Vendo assim, parece chato. Mas o jogo de vidas, de imagens, os mesmos dramas vividos em épocas tão diferentes, faz do filme, para mim, um ensinamento. E ver a doçura do marido de Julie, sua atenção, seu incentivo sem limites, sua aposta na mulher mesmo quando parecia absurdo, seu amor declarado de tantas formas, fez-me pensar no amor, em como ele pode nos acrescentar, ajudar, renascer, lapidar. Tornar-nos melhores, para o outro e para nós.
E o que tem isso a ver com o pão amassado pelo diabo? Tudo! Passamos por tantas coisas nessa vida, das mais simples, que muitas vezes complicamos às mais complicadas, mas ter alguém do lado nos dando a mão, um conselho, um beijo, um olhar, ah, faz toda diferença. Faz a gente comer o pão que o diabo amassou com gosto, com muito mais vontade, como  se ele estivesse coberto da mais pura geleia de se viver!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário