quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Duas


Sou de sagitário, nasci no dia do palhaço. E  achei graça de uma descrição que me fizeram, da ligação entre o símbolo do signo - metade homem, metade animal - e nossas duas - ou muitas - facetas. Identifiquei-me, não como  bicho-homem ou homem  bicho - mas com as mil facetas. Ou pelo menos duas, já me bastam por hora. E já não é fácil de aguentar...
Sou duas, no mínimo. Eu queria amar - e ser amada - por dois homens, ter duas famílias, dois filhos, morar em duas cidades,  viver em duas casas, escolher duas opções de comida. Comer duas bolas de sorvete todo dia. Ler dois livros ao mesmo sem me confundir. Ter dois cachorros - ou mais. Ter duas cores de cabelo, uma para andar por ai, outra para arrasar à noite, loira e morena, quem sabe ruiva. Escrever um livro de crônicas , outro de antropologia, ou outro campo qualquer. Ler dois jornais todos os dias, mas haja tempo. Falar várias línguas, coisa de gente inteligente. Conhecer vários países, coisa de gente sortuda. Saber fazer, com maestria, vários pratos, dos mais simples aos mais sofisticados. Conhecer muitos assuntos, como vinhos, literatura, gastronomia. Quem sabe religião ou filosofia. Queria ser muitas, e ainda dá tempo se ser mais, mas por hora me contento em me ser, e vou roubando daqui e dali alguns predicados que me deixam mais feliz. Ter cachorros que não são meus, filhos dos outros para amar, amar homens que não me amam. Fazer de conta que conheço muita coisa e suar muito de minha astúcia e atenção para poder , ao menos, blefar. Um blefe bom, regado  a intuição, que tenho de sobra, que não chega a enganar, mas dá um certo charme.
E meus sonhos não param ai, por sou gulosa. Queria - e tenho - duas profissões. Mas queria mais umas, como fotógrafa e escritora. Sou várias mulheres em mim mesmo, cada dia uma se sobressaindo sobre as outras - o que, por vezes, dá uma briga danada dentro de mim.
Porque diabos tenho que ser uma só ?  Uma só não me dá conta de tudo o que quero viver, do tudo que quero sentir, do tanto que espero para mim. Uma só não me basta. Pelo menos um ser metade mulher e a outra metade também...mas outra!

"Porque metade de mim é o que eu penso,
mas a outra metade é um vulcão"
Oswaldo Montenegro

Nenhum comentário:

Postar um comentário