sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Esperando...



"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"
Esse pensamento-poema de Fernando Pessoa me pareceu tão atual! Aliás, assim é um clássico, seja ele na literatura, na arquitetura, artes da vida: o tempo só serve para firmá-lo, temperá-lo,
dar mais sabor e força!
Um pensamento-lição que deveríamos ler todos os dias ao acordar e reler antes de dormir - ou antes de fechar os olhos, coisas bem diferentes para mim ultimamente. Nem sempre dá, nem sempre funciona, mas dá a nós o ânimo preciso para, pelo menos, tentar. E pensar, pelo menos por um momento, que a vida é bela.
Dói esperar. Mata a gente por dentro. Aceitar o que não queremos, como que engolindo goela a baixo a seco e com dor de garganta: arranha, machuca. Mas quantas coisas destas já fizemos por amor, não os efêmeros, mas os amores de raiz, amor de filho, por exemplo, destes, que não morrem jamais? Quanto deixamos passar, quando aguentamos, quanto guardamos no peito com jeito de estourar...
E que lindo isso de alagar o coração de esperança, mas com o cuidado de não deixá-lo se afogar Quantas vezes insistimos em coisas por insegurança, medo, desespero, recuamos quando era hora de seguir, avançamos quando era melhor esperar? Acho que o que nos falta é ouvir o coração, a intuição, como quem escuta a alma e se deixa invadir de toda a calma que isso traz.
E digo mais: se estiver errado, assuma e volte atrás, mas só de tiver certeza absoluta - se é que isso existe, já que as verdades são tantas - de que realmente está errado. Não deixe a culpa te levar. Se estiver certo, siga, ninguém há de te segurar. Se sentir saudades, viva-a. Mesmo que só por dentro e do seu jeito, riso ou choro, viva: saudade também alimenta. Lembrar de coisas boas também é uma forma de se amar. Se perder um amor - se é que um amor a gente perde, acho que a gente só deixa ele ir - se era amor, volta, pode esperar ( nem que leve um caminhão de tempo...).
E se achar um amor, destes reais e correspondidos, ah, não deixe escapar. Uma loteria, mega sena sozinho, melhor jeito de se viver não há...
É...Pessoa sabia das coisas....

Nenhum comentário:

Postar um comentário