terça-feira, 4 de outubro de 2011

Tricotando


Engraçada essa vida. Às vezes o que mais parece um novelo de lã todo enleado, cheio de supostos nós, daqueles que faz  a gente pensar em jogar na primeira lata de lixo, a coisa vai se desenrolando, ajeitando, tomando forma e deixando a gente tricotar a vida da melhor forma...Basta ter calma, respirar, esticar, pensar no próximo ponto...pensar na manta pronta...pensar...tricotar, tricotar, tricotar.
Desde a semana estou assim, sentindo-me enleada em mim mesma e na vida que tenho levado. na vida que deixei seguir, mesmo sabendo onde ia dar. Uma vida que, até poucos anos atrás, nem era mais minha, tamanho desprezo por mim. Fui me fechando, deixando a vida me sufocar e tentar fazer de minha criança interior uma velha rabugenta. Não conseguiu. Ela tenta, mais porque eu deixo do que por vontade própria, mas tenta. Insiste. A cada momento tenta me mudar, travestir, mas não consegue. Deve ser por causa de momentos em que eu aproveito as chances dadas  - por vezes raras - e vivo. E me vivo. A vida se distrai, tentando ser séria, e eu brinco. E como brinco. Por vezes até faço pouco caso - dela, não de mim. Isso os últimos anos me deram: a esperteza de saber como dar um jeito de me ser por inteira, mesmo que eu mesma não queira. Sim, porque minha maior sabotadora sou eu mesma.
Ontem o que era um nó, hoje ainda não é manta, mas já uma linha enroladinha, novelinho bonito, prontinha para ser usada. Hoje já não penso em desprezá-la no lixo ou num canto. Hoje sou outra. Já penso na primeira fiada, quem sabe novos pontos, quem sabe um flor, ou muitas. Quem sabe uma manta, destas que faz minha mãe , deixando em cada ponto carinho.Quem sabe.

"O saber se aprende com os mestres. A sabedoria, só com o corriqueiro da vida".
Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas . Ou simplesmente Cora Coralina

Um comentário:

  1. Passei para dar uma olhada e gostei. Acho graça da forma engraçada que você encara a vida. Há muita força nisso , força feminina e linda!
    Estou virando fã, das palavras e de quem as escreve tão bem!

    ResponderExcluir