domingo, 4 de dezembro de 2011

Descoberta


"é só mistério, não tem segredo..."(*)

É, não, não tem jeito. O que toda mulher espera  - e quem sabe os homens também, mesmo que do seu jeito - é ter alguém para amar. Está certo, não estou falando de amor pela mãe, pelo pai, irmãos, amigas de infância ( mesmo que conhecidas, já que amizade tem lá seu tempo). Nem amor pelos cães ou gatos, aqueles, de quatro patas. Falo de um gato, sim, mas  um que anda sobre duas patas, ou pernas, aquelas que a gente admira, e muito. Apesar das semelhanças que se gosta, de seu olhar atrevido, seu arranhar de leve, seus gemidos, dependendo da hora ( risos).
Mas, voltando às vacas magras  ou gatos gordos - e ao texto, antes que ele fuja feito gato assustado,  escaldado, a gente nunca parece completa sem "ele". Nos contos ele vem de cavalo branco, beija a princesa que, enfim, desperta para a vida. Ou a tira do castigo do castelo - e de suas longas tranças. Tira também o efeito do veneno  - ou toma o seu, tamanha perda. A gente sempre espera cruzar com ele na próxima esquina, no próximo clique, falando modernamente. No meu caso, em específico, na próxima palavra bem dita. Ou  a gente se distrai do assunto, preeenchendo esse vazio interno com outras tantas coisas boas, mas não ótimas, como comida. Ou livros. Ou estudos. Ou filhos, que sempre nos ocupam muito, mas cada dia menos. Quem sabe carreira. Ou, máximo de meu sonho, preencher esse vazio comigo mesma, meus sonhos e anseios , com meus textos guardados na cabeça e no coração, que são sempre muitos e me deixariam ocupadíssima 48 horas por dia até o final de meus dias.
E ai, quando já me achava aferida a minha ferida, eis que surge a pergunta fatal:
- Em quem você pensa logo ao acordar, antes mesmo de abrir os olhos e saber-se viva?
Odiei a pergunta porque odiei admitir a resposta. E me vejo aqui, dentro de uma canoa frágil, quem sabe furada, em meio a um mar revolto de  problemas, decisões, resoluções, dúvidas, ansiedades de arrancar unhas e...pensando no outro. Absurdo. Estupidez, você diria - e eu também. Estupidez, sim, porque descubro com o tempo - e para isso já vale a pena cada dia a menos de vida, trocados por sabedoria, que eu sou meu principal. Que sou eu que tenho que sobressair. Devo ser egoísta, sim, contra todos os ensinamentos de pai e mãe,  todas as orações feitas antes de dormir e frente a tantos santos e ensinamentos do colégio de freiras e suas saias bordeaux plissadas. Devo ser sábia e trocar minhas tantas culpas de não cuidar deles, os outros, antes de mim e me amar "por primeiro". E por um simples fato: se eu não me amar, ninguém vai. Se eu não me cuidar, não cuidarei de outrem. Se eu não me fortalecer, não serei  porto de descanso para nenhuma embarcação, por menor que seja. Minhas cordas precisam estar fortes, meu pier muito bem estruturado, meu chegar um chegar manso e calmo, em bom canal que os traga até mim. Sem medo, nem deles e nem de mim.
É...precisei de quase cinquenta anos de minha vida bem vivida para aprender a pedir direito. A rezar por mim, interceder por mim junto aos céus. A me ver direito - e  deve ser por isso que a visão vai ficando fraca, posto que se precisa cada vez mais olhar para dentro. A esquecer as coisas que me detonam e fortalecer  - muito - a minha base. E terei passado por todas e tantas tempestades da vida sem arranhões - ou pelo menos poucos reparos, coisa pouca. Só assim estarei pronta para quando o "grande barco" quiser atracar...

"Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular"
Parte da música Infinito Particular, "letrada" e cantada por Marisa Monte (*)

Um comentário:

  1. Realmente me vejo em vc e vejo muito vc em mim.
    Bem sabes que somos sensíveis,criativas,carismáticas, e já com algumas vivencias em sofrer, pensar,decidir,medo de errar e mais medo ainda de acertar...partindo do principio, que mesmo não sabendo o que queremos,SABEMOS O QUE NÃO QUEREMOS, e seu texto diz tudo Joy, a gente tem que se amar...se fortalecer...e dar muitos mimos a nós mesmas..antes de fazer isso a uma segunda pessoa. Temos sempre uma frase como guia pra cada fase da vida..ultimamente a que rege a minha vida é ( ja tive tanta pena de eu te perder,hoje morro de pena de voce, por perder a mim.)
    È o caminho mais certo, somos especiais sim, e não é qualquer um que pode ser a nossa cara metade, somos como diamante...o tempo lapidou e aumentou em muito o valor....bjks e moras no meu coração sempre *)

    ResponderExcluir