quinta-feira, 26 de abril de 2012

Duplo


 
Desejo. Palavra que, só de ler,  já me deixa desejosa. Pode ser de um doce, quem sabe bolo de vó, coisas da infância - como desenhar casas na areia da praia - e dai nascer a arquiteta que sou. Desejo de um banho purificador de mar. De por os pés num rio qualquer, e fazer-me nova, quem sabe outra, como  quem passa. Sorvete, coisa que sempre desejo, mas troco por um açaí ou suco verde - ou qualquer coisa, desde que em boa companhia. Ou café com leite nos dias que o frio, lá fora e aqui dentro, pedem.  Pode ser de colo de mãe, carinho de filho, quem sabe do abraço do amado - ou, sonho, ele ligando para dizer que sente a falta.
Sempre falo que meus desejos são muitos. Dos aparentemente simples, como ser reconhecida e respeitada, ou flores no jardim, aos mais complexos, como ser feliz, se a gente caraminhola demais. Ser feliz é um belo desejo de se ter. E se se simplifica a vida, tudo é, faz, deixa feliz. Até as coisas não muito boas tem lá o seu motivo, dizem e creio.
Meus desejos são muitos e vão longe, além mar e além línguas. Têm os desejos da hora, como um chá que me renove ou um creme que faça milagres quando de olha no espelho e se vê mais velha. Desejo de voltar no tempo para apagar ou fazer quadro, dependendo da lembrança, dependendo da pintura, borrada ou belissimamente colorida da vida. Desejo. Soa como sonhos acordados, pedidos feitos em praça pública, moeda na mão. Quem sabe pés na água, sete ondas, na virada de ano - onde muito desejamos que seja bom. Desejo na estrela cadente, mas sem apontar, senão nasce verruga, dizia minha mãe. E eu desejando que a estrela morasse em meu dedo, na palma de minha mão. Desejo se ter uma casa quando não se tem, de ter outra quando não se gosta, de arrumar a que se ama. E ainda os desejos parcos de todo ser dito humano: desejo de mais seio, de menos barriga, de mais destreza e menos preguiça, de mais leveza por dentro e força por fora.
Desejo. Deste que falo e que me deu a partida, todos sonham. Desejo de ter alguém.  Desejo de ter alguém do lado e nele fazer guarida. Desejo de ter alguém do lado  - e dele cuidar e ele de mim. E nele sossegar.  E nele me bastar. Para que meus desejos não sejam mais desejos solitários e sim desejos de dois.
Descubro que meus desejos são muitos, mas se resumem nisso. Meus desenhos, muitos, cabem num só. Desejo.

"Um café e um amor...quentes, por favor"
Um antes , o outro depois.
Caio Abreu, não eu.




2 comentários:

  1. Uma mulher é assim, desejosa. Muito lindo ! E teus desejos são os nossos todos, no fundo, no fundo, desejo de se ser conjunto. Adorei ! Beijos

    ResponderExcluir