domingo, 8 de julho de 2012

Chão



Tem muita gente que me acha sonhadora, cabeça de vento. Sou, pois são os sonhos que me movem. Sem sonhos e sem esperança, para que levantar da cama, se o filho já sabe fazer o café?
Sonho, sim, sempre e  muito. E são sonhos atrelados, como quem monta uma casa, uma peça ligada a outra, um caminho entre elas, mobiliadas cada uma em sua vez, e enfeitadas aos poucos. Não sonho sonhos prontos, como quem compra uma casa mobiliada.  Não os nomeio, nem os declaro prontos, nunca. Meus sonhos são vagos, como vagos os meus pensamentos em relação a eles. Mas sonho de leve, como quem não espera muito. O pensamento lá longe, mas dentro da cabeça, mistura dosada de real e irreal.  
Quando a gente espera muito, feito quem fixa o olhar no relógio, o tempo não passa, as horas travam, o pensamento congela. Põe-se muito foco e não se vê em volta. Fixa-se o olhar de forma fechada, como se usasse um binóculo.  E não se vê que outras paisagens - e outros sonhos, bem próximos, estão logo ali do lado, sem nem se sair do lugar. Vejo o horizonte, mas sem ver onde piso. Olho para frente, mas sem deixar de olhar para o chão. Ponho o olhar no futuro, mas não sem viver o agora. Gosto de coisas apalpáveis, de sonhos construídos, de sonhar aos poucos, como se montasse um castelo, como se desenhasse para ser melhor entendido. O chão, depois as paredes, telhado, portas,  janelas e ai, sim, belo jardim. Não sonho com "o" sonho e sim "um" sonho, detalhes da língua que nem sempre nos damos conta, mas mudam tudo. Se aquele amor não está disponível, entendo nele o que procuro e abro os olhos olhando ao redor. Uso caminhos diferentes, novos, saio do asfalto de todos e construo os meus atalhos, belos e outros,  e só meus. Quem sabe assim acho o mesmo amor, agora despertado exatamente porque não o trilhei? A mesma paisagem procurada, mas agora  por um ponto de vista só meu?
Tenho que concordar: sonhar visando algo, mas viver distraído, como quem procura algo que nem sabe bem o que é...como quem constrói um atalho nunca usado...e acha um paraíso só seu. Quem sabe até os sonhos mudam...
Só uma  coisa é certa: ninguém pode sonhar por mim...




“É preciso força pra sonhar e perceber
Que a estrada vai além do que se vê…"
Los Hermanos





Nenhum comentário:

Postar um comentário