sábado, 20 de outubro de 2012

Chave



Cada vez que eu desanimo
Eu envelheço um pouco
Às vezes tenho dez anos e viajo feito louco
Planetas, cometas, satélites
Nada me segura
Tenho o mundo a meus pés
E nas mãos só ternura

Ceumar, Planeta Coração



O tema de hoje me veio depois da caminhada matinal, sol leve na cabeça e na alma: equilíbrio.
Ontem foi um dia difícil. Não, nada aconteceu de ruim, nem ao menso de diferente. Não por fora, pelo menos. Algo dentro de mim veio a cavalo, metendo patas até onde não devia. E por saber-me "mansa", com o freio puxado quando se trata de criticar os outros ( e bem ao contrário para me autocriticar , sentia arrepios ao segurar dentro de mim tanto pensamento grotesco, punidor de outros. Verdades, eu sei, mas de que adianta cutucar feridas alheias se ferirão a mim?
Antes de dormir, pedi ajuda. Não para compreender os fatos, mas os porquês. E pela manhã, logo ao despertar - o espirito, porque o corpo demorou, talvez  ainda pesado com o desconforto passado - a palavra que me veio foi essa. Equilíbrio. Nem chão, nem céu. Nem muito doce, nem azeda. Nem muita gente, nem solidão. Nem falatório, nem silêncio. Nem muito o outro  e nada eu. Nem muito eu, e sozinha. Como saber dosar o molho no macarrão - mas sabendo que cada um gosta de um jeito. E conviver é bem isso: dosar o molho e a porção de quem se serve. Conviver -  viver com - , é saber entender que não estamos sozinhos. E se estivéssemos, ah, seria muito mais fácil, mas chato demais. Estar sozinho é bom, muitas vezes, até para se repensar as coisas, rever-se sem dó mas com muita piedade sobre nós mesmos. Mas ser sozinho é solidão. É não ser. Porque quem está na chuva, é para se molhar  se esbaldar, brincar nas poças d'agua que aparecem no caminho, sabendo que, mais cedo ou mais tarde, tomaremos um bom banho quente, quem sabe uma sopa para aquecer a alma., revigorar por dentro e por fora.
Tenhamos, pois, equilíbrio. Saber dosar entre a visão integral das coisas e a visão exagerada das coisas. Focar, mas sem deixar de ver  - e sentir! -  o que nos cerca. Equilíbrio para ser como se quer ser, mas sem ferir o outro. Equilíbrio para saber dosar entre a critica que afunda e a que faz crescer. 
Equilíbrio. Deve ser o que procuro, a chave certa de  tesouros escondidos  numa arca enterrada na areia da praia. Melhorar o mundo a minha volta, sim, mas começando por mim. Que eu tenha olhos de ternura e palavras de compaixão. Até comigo mesma...


5 comentários:

  1. Equilíbrio é uma palavra mágica. Parece fácil de alcançar, mas custa-nos tanto aprender. Adorei ler o texto. Beijos

    ResponderExcluir
  2. acho que um dos melhores elogios que se pode dar a uma pessoa é dizer que ela é equilibrada, mas deixa queto, ninguem é perfeito. Nao se admire se um dia tiver um destempero contigo, algo causado pelo o outro Certa vc de buscar ajuda, pq nao conseguimos por si só!!! E Desiquilíbrio e achar que sim, E o espirito que é santo '' te ajuda, te revela e tira o seu cavalo da chuva''.
    vc ficou desequilibrada, para nos dar esse texto, que amei.

    ResponderExcluir
  3. Equilíbrio é necessário e como o pão que alimenta o corpo, ele tem que ser preparado a cada dia. Tem que ser feito, comido conforme sua fome, guardado adequadamente, e também repartido com os outros... Enfim, é preciso se manter em equilíbrio para com ele sempre poder contar e viver melhor... com a ALMA ALIMENTADA, com a VIDA EQUILIBRADA!

    ResponderExcluir
  4. Amooooo muito eu aqui! foi no fundinho da lama acredite, querida obrigada por mostrar tanto de nós mesmas, seus pensamentos traduzem em palavras sentimentos que nós mulheres na maioria das vezes não conseguimos expressar, belo texto, como todos os outros parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Ops erro de digitação!! substitua o lama por 'ALMA'... RSRSRS...T'KS.

    ResponderExcluir