domingo, 28 de julho de 2013

Meu




Domingo é o meu dia. Ainda mais assim, morando com os olhos no mar, tendo como companhia sua música que m acalma, ao mesmo tempo que me anina. 
Gosto de levantar mais cedo, ao contrário de muita gente. Deve ser porque sei que essas horas, no silencio da manhã, são só minhas. A casa em silencio, o mar como companhia, o sol entrando ainda manso pela varanda.Só eles, o sol o mar e eu. Alegro-me de ver cachorros correndo livres pela praia - coisa que só nessa hora não se estranha. Para mim é a melhor hora de poetizar com a vida, como gosto. Hora poética de me ser por inteira, escutar minha voz que vem de dentro, fazer crescer em mim o que tenho de bom. Rego essa semente de paz para que invada o meu dia. quem sabe todos?
Tenho tentado fazer de minhas manhas manhãs de domingo. O ritual de levantar, olhar o céu, olhar o mar, agradecer mais um dia, descer para alimentar os cachorros, arrumar a mesa do café com primazia. E enquanto faço as coisas acontecerem fora de mim, muita coisa dentro. Desde a enfadonha  - mas necessária - companhia de minha agenda do dia, que se descortina e se organiza em minha mente ( e corro para anotar o que realmente não dá para deixar para lá) , até planos, sonhos, onde quero chegar e como fazer tudo acontecer. Até o amor descer e , café a dois, com calma, começamos o dia assim, na mais santa paz, belo combustível para a  correira de mais um dia que nos espera tão logo o carro seja ligado, tão logo a gente se beije e se abrace como se fosse o último dia - posto que nada se sabe. 
Domingo é meu dia.  Eu e o mar. Eu e o sol. Eu e eu, um eu tão cheio de tantas, umas complexas demais, outra tão simples que me fazem rir. Nelas, nas simples, nas poéticas e por vezes meninas é que me encontro mais. Que me realizo. Que me encontro. Que vejo valor. Que entendo mais profundamente o que é realmente viver...
Sinto o cheiro do café, as patas dos meus cachorros pedindo atenção, os primeiros movimentos do amor que já, já, levanta e me dou conta: A vida é isso, saber viver!
Tem gente que fala me viver a vida intensamente. 
Eu? Eu não: amo, mesmo, é viver a vida
v  a  g  a  r  o  s  a  m   e  n  t e
(tenho tantas vidas ainda para viver...)
... feito manhãs de domingo...


"Eu me lembro que um dia acordei de manhã e havia uma sensação de possibilidade. Sabe esse sentimento? 
E eu me lembro de ter pensado: Este é o início da felicidade. É aqui que ela começa. E, é claro, haverá muito mais. Nunca me ocorreu que não era o começo. 
Era a felicidade. Era o momento. Aquele exato momento."
Virginia Woolf

Talvez fosse uma bela manhã de domingo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário